MPB, CHURRASCO E ALEGRIA DÃO O TOM DA CONFRATERNIZAÇÃO DO SINEC RN

WhatsApp Image 2017-12-15 at 08.33.22

O mercado segurador marcou presença na tradicional confraternização do Sinec RN, realizada nesta quinta (14), na churrascaria Sal e Brasa, em Ponta Negra. Mais de 100 convidados puderam aproveitar o clima descontraído, com música ao vivo e pratos elaborados.

“Não foi um ano fácil, mas somos gratos, como sempre pela confiança que nossas empresas corretoras de seguros depositam em nossa equipe, e pela parceria das seguradoras mais importantes do mercado. Que 2018 venha com novos desafios por que estão prontos para enfrentar”, pontua o presidente do Sinec, Romer Torres.

Os representantes das seguradoras que apoiam a confraternização prestigiaram o evento, como a Tokio Marine, Bradesco, Itaú, Azul e Porto Seguro, HDI, Sompo e Maphre. Algumas, levaram presentes para serem sorteados, como cestas natalinas e vinhos, o que animou ainda mais os participantes.

E um dos momentos mais esperados pelos convidados foi o sorteio da viagem para o mais relevante evento do mercado, o 18° Conec, que será realizado em setembro de 2018, na cidade de São Paulo. A Visão Técnica corretora de seguros foi a sorteada e garantiu, para um representante: passagem aérea de ida e volta, hospedagem e inscrição no congresso.

WhatsApp Image 2017-12-15 at 08.33.07 (1)

WhatsApp Image 2017-12-15 at 08.33.09 (1)

WhatsApp Image 2017-12-15 at 08.26.33

WhatsApp Image 2017-12-15 at 08.33.20 (2)

WhatsApp Image 2017-12-15 at 08.33.20

WhatsApp Image 2017-12-15 at 08.33.21 (1)

ÚLTIMA SEMANA DE RECADASTRAMENTO PARA O CORRETOR DE SEGUROS PESSOA FÍSICA

13.-Recadastramento-300x163
 
Mais de 43 mil profissionais já deram entrada no processo. Cerca de 3.500 solicitações ainda constam como não-finalizadas.
 
Na próxima sexta-feira, dia 15 de dezembro, será encerrado o prazo, estabelecido pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), para o recadastramento do corretor de seguros pessoa física. O não recadastramento implica na suspensão do registro conforme o disposto na Circular da Susep 552, de 17 de maio de 2017.
 
“O último recadastramento de corretores de seguros realizado pela Susep foi em 2008 e esse processo é fundamental para a segurança do consumidor e para estudos e ações do mercado de seguros”, observa o titular da autarquia, Joaquim Mendanha de Ataídes, reiterando que o prazo não será prorrogado.
 
Sociedades corretoras
Um outro ponto importante envolve os corretores de seguros que são os responsáveis técnicos em sociedades corretoras. Caso o corretor pessoa física não realize o processo de recadastramento este ano, o mesmo ficará impedido de atuar como o corretor responsável.
 
Passo a passo do recadastramento
Ao dar entrada com o pedido de recadastramento no portal da Susep (http://www.susep.gov.br), o corretor precisa estar atento a todos os passos do processo: preencher seus dados nos campos indicados, salvar o cadastro e verificar o recebimento de dois e-mails da Susep. O primeiro e-mail informará o número do seu pedido e o segundo e-mail trará um link, no qual o solicitante deverá clicar para realizar a confirmação do seu pedido e poder continuar com o processo.
A Susep esclarece que os corretores que finalizarem o pedido de recadastramento dentro do prazo e o mesmo permanecer em análise por parte da autarquia, não serão prejudicados e os seus registros continuarão ativos até a conclusão da análise.
 
Em caso de dúvidas, o site do Instituto Brasileiro de Autorregulação do Mercado de Corretagem de Seguros, de Resseguros, de Capitalização e de Previdência Complementar Aberta (Ibracor) (http://www.ibracor.org.br) possui um passo a passo detalhado sobre o recadastramento e há linhas diretas para os corretores nos telefones (21) 3233-4146 e (21) 3233-4045, da Susep, e (21) 3509-7070, do Ibracor.

SEGURO DE PESSOAS DEIXA A CRISE PARA TRÁS E AVANÇA

038c01f2-5d6f-4046-af8d-4815ff22c611

Dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi) indicam que, de janeiro a setembro, a receita apurada com a comercialização de seguros pessoais somou R$ 25,45 bilhões, o que representou um crescimento de 11,8% em relação ao volume registrado no mesmo período de 2016. Esse segmento inclui seguros de vida, acidentes pessoais, viagem, educacional e prestamista, entre outros.

A prova de que essa recuperação está ligada ao cenário mais favorável na economia foi o desempenho bastante positivo dessas carteiras no terceiro trimestre. Segundo a FenaPrevi, entre julho e setembro, comparado ao mesmo período do ano passado, houve crescimento expressivo nos seguros prestamistas (33,5%), vida resgatável (23,2%), viagem (17,2%) e educacional (11,4%).

Além disso, o seguro de vida, que gera 40% da receita do ramo de pessoas, registrou R$ 3,47 bilhões em prêmios no trimestre, com aumento de 5,6%. Outro bom indicativo foi que os seguros coletivos de empresas oferecidos em forma de benefícios aos colaboradores, de sindicatos e associações de classes para adesão de seus associados, responderam por 76% da receita apurada em setembro, enquanto os planos individuais contratados por pessoa física representaram 24%.

MERCADO DE SEGUROS CRESCEU 4,5% ATÉ OUTUBRO

images

O mercado de seguros faturou R$ 83,4 bilhões de janeiro a outubro. Segundo dados da Susep, essa soma representa um crescimento nominal de 4,5% em comparação aos dez primeiros meses do ano passado. Em termos reais, houve um desempenho expressivo, bem acima da inflação acumulada entre os dois períodos comparados, que ficou pouco acima dos 2%.

Esses valores incluem o VGBL, mas, não engloba o seguro saúde, que está sob a alçada da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), os planos de previdência privada complementar aberta e a capitalização.

 O bom desempenho do setor também foi favorecido pela queda da taxa média de sinistralidade, de 49% para 48%, entre outubro de 2016 e o mesmo mês no atual exercício. Além disso, entre os dois períodos comparados, houve uma ligeira redução de 0,7% dos sinistros ocorridos, para pouco mais de R$ 37,6 bilhões.

 Isso significa que, nos dez primeiros meses do ano, o mercado de seguros devolveu para a sociedade, na forma de indenizações, algo em torno de R$ 125 milhões por dia, incluindo finais de semana e feriados, ou ainda R$ 5,2 milhões a cada hora.

 Já as despesas comerciais, que incluem as comissões pagas aos corretores de seguros, cresceram 8,8% entre os dois períodos, somando R$ 20,4 bilhões nos dez primeiros meses deste ano.

CRESCE INDENIZAÇÕES POR MORTE NO SEGURO DPVAT

DPVAT 2017

As indenizações por morte no trânsito cresceram 27% entre janeiro a outubro de 2017, comparado ao mesmo período de 2016, segundo a seguradora que administra o seguro DPVAT.

Além das indenizações por morte, o DPVAT também cobre despesas médicas de quem é vítima de um acidente de trânsito por invalidez, por morte e o reembolso de despesa médicas hospitalar.

Para saber mais sobre os seus direitos, o beneficiário deve procurar um ponto de atendimento gratuito, oferecido pela seguradora Líder. Aqui em Natal-RN, existe o  Sindicato das Empresas Corretoras de Seguros, de Previdência, de Capitalização e de Resseguros do RN  (SINEC), que atende no shopping Natal Sul, localizado na Av. Prudente de Morais, 3857, em Lagoa Seca.

O recolhimento do seguro é anual e obrigatório para todos os proprietários de veículos. A data de vencimento é junto com a do IPVA, e o pagamento é requisito para o motorista obter o licenciamento anual do veículo.

O pedido de indenização pode ser feito, gratuitamente, em pontos oficiais de atendimento por todos os municípios brasileiros, como também nas agências dos Correios. O prazo para entrar com o pedido é de até 3 (três) anos, contados a partir da data do acidente.

A documentação necessária para cada tipo de cobertura está descrita no site do SINEC aqui.

SEMANA NACIONAL DO TRÂNSITO 2017 CONTA COM APOIO DO SINEC RN

SINEC

Estamos na Semana Nacional de Trânsito (SNT), que aqui no Rio Grande do Norte segue até o dia 25 de setembro. Aqui no Estado, o evento é encabeçado pelo DETRAN, e conta com o apoio de inúmeros parceiros como o SINEC RN, posto autorizado da Seguradora Líder, que participa da ação levando informação sobre o atendimento gratuito ao Seguro DPVAT.

“Estamos atuando na Semana Nacional de Trânsito com espaço de exposição do nosso material sobre o atendimento gratuito que realizamos sobre o Seguro DPVAT, e ainda com sorteio de capacetes para os motociclistas que estão participando das oficinas de direção defensiva”, explica o Presidente do Sinec, Romer Torres.

Para a edição desse ano, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) definiu como tema central: “Minha escolha faz a diferença no trânsito”; e vem com o objetivo de alertar condutores, ciclistas, passageiros e pedestres sobre a importância e a valorização de cada um para a construção de um trânsito seguro e mais humano.

A abertura oficial da SNT, em Natal, foi realizada na última segunda (18), e contou com uma exposição diversificada montada no estacionamento do Natal Shopping.

A SNT é prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e tem a finalidade de conscientizar a sociedade para a criação de um ambiente favorável de valorização da vida, focando o desenvolvimento de valores, posturas e atitudes, no sentido de garantir a segurança e o direito de ir e vir dos cidadãos no trânsito.

CORRETORES: ATENÇÃO PARA O PRAZO DO RECADASTRAMENTO

RECADASTRAMENTO

O prazo para recadastramento dos corretores de seguros, pessoa física, encerrará em 30 de setembro de 2017, conforme o disposto no art. 4º da Circular SUSEP nº 552, de 2017.

Os corretores que não derem entrada no pedido de recadastramento até 30 de setembro de 2017, terão seus respectivos registros suspensos, na forma do art. 7º da Circular SUSEP 552, de 2017, e ficarão impedidos, a partir daí, de intermediar novos negócios de seguros, capitalização e previdência complementar aberta, enquanto não houver a regularização de seus respectivos cadastros.

Os corretores de seguros que são responsáveis técnicos em sociedades corretoras precisam fazer o recadastramento (pessoa física). Caso não gerem o respectivo pedido dentro do prazo, ficarão impedidos de atuar como corretor responsável. O processo de recadastramento para pessoas jurídicas terá início no dia 1º de dezembro de 2017.

Segundo dados do recadastramento dos corretores de seguros, atualizados em 25 de agosto de 2017:

a) 457 corretores de seguros já estão recadastrados, após seus respectivos pedidos terem sido aprovados pela Autarquia;

b) 3.839 pedidos ainda NÃO foram FINALIZADOS;

c) 4.497 pedidos ainda estão “EM EXIGÊNCIA”, “EM EXIGÊNCIA PRELIMINAR” e “REVISÃO SEGUNDA EXIGÊNCIA”.

Os corretores precisam concluir seus pedidos, seguindo o passo a passo:

*Ao dar entrada com o pedido de recadastramento no portal da Susep (http://www.susep.gov.br/), o corretor precisa estar atento a todos os passos do processo: preencher seus dados nos campos indicados, salvar o cadastro e verificar o recebimento de dois e-mails da Susep.

**Atenção: O primeiro e-mail informará o número do seu pedido e o segundo e-mail trará um link, no qual o solicitante deverá clicar para realizar a confirmação do seu pedido e poder continuar com o processo.

A não finalização, no prazo de até 60 dias, acarretará o cancelamento do pedido, conforme prevê o art. 6º, § 1º, da Circular SUSEP nº 552, de 2017.

O acompanhamento do pedido de recadastramento é importante e imprescindível!

A SUSEP já alertou que aqueles corretores que concluírem o seu pedido de recadastramento dentro do prazo, e estiverem aguardando a análise da SUSEP, não serão prejudicados, permanecendo com o status do registro ATIVO, até a conclusão da análise pela SUSEP.

O cumprimento das exigências deverá ser feito através do sítio eletrônico da SUSEP.

Na sequência, caso o pedido seja DEFERIDO, o corretor estará recadastrado e apto a intermediar seguros (ATIVO).

Ou, caso o pedido seja INDEFERIDO, após 30 de setembro de 2017, o registro do corretor será alterado para “SUSPENSO”. Neste caso, para retornar à situação “ATIVO”, o corretor deverá gerar um novo pedido de concessão de registro no Site da Susep.

Para mais informações, solicitamos que os corretores consultem a Circular SUSEP nº 552, de 2017, o Portal do IBRACOR e os Sindicatos filiados à FENACOR, ou entrem em contato no telefone disponibilizado pela SUSEP: 3233-4146 ou no telefone do IBRACOR: 3509-7070.

RECADASTRAMENTO: NÚMEROS PREOCUPAM SUSEP E IBRACOR

corretor-de-imóveis-guru-do-corretor

Os números referentes ao recadastramento dos corretores de seguros pessoas físicas continuam preocupando bastante a Susep e o Ibracor. Segundo dados divulgados pela autarquia, 4.366 pedidos estão em “em exigência”, “em exigência preliminar” ou “revisão segunda exigência”. Além disso, 2.883 pedidos não foram finalizados. Restando 50 dias para o final do prazo de recadastramento, somente 3.534 já foram deferidos, ou seja, menos de 6% dos 68.815 profissionais em atividade, segundo o banco de dados da Fenacor.

A Susep e o Ibracor alertam que os Corretores precisam ficar atentos e concluir o quanto antes os seus pedidos.

Nesse contexto, é recomendado que, ao dar entrada com o pedido de recadastramento no portal da Susep (http://www.susep.gov.br/), o corretor preencha com atenção os seus dados nos campos indicados, salve o cadastro e verificar o recebimento de dois e-mails da Susep.

O primeiro e-mail informa o número do pedido. O outro traz um link, no qual o solicitante deverá clicar para realizar a confirmação do seu pedido e continuar com o processo.

Vale lembrar ainda que o profissional que não finalizar o processo no prazo de até 60 dias, terá seu pedido cancelado.

O cumprimento das exigências deverá ser feito através do site da Susep.

A Susep destaca ainda que os corretores que não efetuarem o recadastramento até o dia 30 de setembro, terão seus respectivos registros suspensos, e ficarão impedidos de intermediar negócios de seguros, capitalização e previdência complementar aberta, enquanto não houver a regularização de seus respectivos cadastros.

MERCADO DE SEGUROS CONTINUA EM CRESCIMENTO

 
Susep-aponta-crescimento
Resiliência permanece como a palavra que melhor define o desempenho do setor de seguros em meio a um cenário ainda marcado por incertezas no país. Com arrecadação de R$ 117,9 bilhões, o crescimento do mercado de seguros no semestre, contra igual período de 2016, foi de 3,5%. Descontando a arrecadação do Seguro DPVAT, cujo volume de prêmios foi reduzido neste ano por norma do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), a evolução alcançou 5,3%, como informam dados divulgados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), que foram reunidos pela CNseg e publicados no boletim conjuntural Carta do Seguro. O resultado no período foi influenciado pelo comportamento do mercado no segundo trimestre (-5,3%), que reverteu tendência do trimestre anterior (14,0%). De maio para junho, a variação nominal do mercado foi de 0,4%.
 
Ressalte-se dado relevante no semestre: a sinistralidade geral não sofreu impacto significativo. As provisões técnicas do setor permaneceram superando com expressiva margem o crescimento da arrecadação, alcançando 17,3% e encerrando junho com montante de R$ 840,8 bilhões.
 
“As maiores taxas, também pela ordem dos ramos de maior contribuição absoluta, assim se apresentaram: Automóveis, com 5,8%; PGBL, com 12,7%; Vida Coletiva, com 7,2%; Vida Individual, com 26%; Habitacional, com 11,7%; Crédito e Garantias, com 29,3%; Vida Risco Tradicional, com 19,1%, e Rural, com 17,7%. Contrastando com a recuperação do ramo de Automóveis, os Planos de Acumulação VGBL diminuíram seu ritmo de crescimento, mostrando agora evolução de 4,3%, após taxas superlativas em 2016 e no primeiro trimestre deste ano”, assinalou o presidente da CNseg, Marcio Serôa de Araujo Coriolano, em editorial da Carta do Seguro. “Todas as atenções agora se voltam para o comportamento do terceiro trimestre, na esteira dos fundamentos da economia do País”.
 
Alinhando as taxas dos ramos do mercado com maior peso absoluto, os desempenhos abaixo da média no semestre, comparados com os do mesmo período do ano anterior, foram: Capitalização, com -4,7%; Grandes Riscos, com -1,9%; Transportes, com 0,6%; Garantia Estendida, com 1,5%, e Marítimos e Aeronáuticos, com -23,1%.
 
Seguem mais números relativos ao resultado do mercado segurador no primeiro semestre de 2017, comparados com o mesmo período do ano passado: Seguro de Automóvel: crescimento de 5,8% (receita de R$ 16,2 bilhões no primeiro semestre de 2017), comparado a igual período de 2016. Variação nominal de -1,8% de maio para junho de 2017, com receita de R$ 2,8 bilhões.
 
Seguro Habitacional: crescimento de 11,7% (receita de R$ 1,8 bilhão no primeiro semestre de 2017) – Variação nominal de 1,5% de maio para junho de 2017, com receita de R$ 317 milhões.
 
Seguros de Responsabilidade Civil: crescimento de 3,4% (receita de R$ 3,4 bilhões no primeiro semestre de 2017) – Variação nominal de -1,3% de maio para junho de 2017. Receita de R$ 612 milhões.
 
Seguro Viagem: crescimento de 52,9% (receita de R$ 273,7 milhões no primeiro semestre de 2017) – Variação nominal de 28,2% de maio para junho de 2017, com receita de R$ 62,6 milhões.
 
Capitalização: recuo de -4,7% (receita de R$ 9,7 bilhões no primeiro semestre de 2017) – Variação nominal de 12,9% de maio para junho de 2017, com receita de R$ 1,8 bilhão.
 
Seguro Prestamista: crescimento de 21% (receita de R$ 4,4 bilhões no primeiro semestre de 2017) – Variação nominal de 10,8% de maio para junho de 2017, com receita de R$ 829,7 milhões.
 
Seguro Rural: crescimento de 17,7% (receita de R$ 1,9 bilhão no primeiro semestre de 2017) – Variação nominal de 32% de maio para junho de 2017, com receita de R$ 448,6 milhões.

COBERTURA POR SOBREVIVÊNCIA TERÁ NOVAS REGRAS

Notebook-digitando
 
Corretores de seguros e outros profissionais e executivos do mercado poderão enviar para a Susep, até o dia 15 de agosto, sugestões relativas às novas regras para operação da cobertura por sobrevivência oferecida em plano de previdência complementar aberta. A matéria será regulamentada por Resolução do CNSP, que foi colocada em consulta pública.
 
As propostas devem ser enviadas por meio de mensagem eletrônica dirigida aos endereços cgcom.rj@susep.gov.br e copep.rj@susep.gov.br, devendo ser utilizado o quadro padronizado específico, disponível no site da Susep.
 
Pela proposta, a cobertura por sobrevivência será estruturada sob o regime financeiro de capitalização e tem por finalidade a concessão de benefício, pagável de uma única vez ou sob a forma de renda, a pessoas físicas vinculadas ou não a uma pessoa jurídica.
 
Ressalvado o caso de concessão de renda imediata, adquirida mediante pagamento único, o evento gerador do pagamento do benefício será sempre a sobrevivência do participante ao período de diferimento contratualmente previsto.
 
Essas disposições serão aplicadas, obrigatoriamente, a todo e qualquer plano de previdência complementar aberta que ofereça cobertura por sobrevivência, aprovado a partir do início de sua vigência.
 
A minuta em consulta pública pode ser acessada através desse link: http://www.susep.gov.br/setores-susep/seger/copy_of_normas-em-consulta-publica/Min.Resolucao%20CNSP.pdf